Sahga

  • Recentes

    NÃO ENTENDO O POVO BRASILEIRO

    Há algumas ideias que rondam nossas mentes e que a gente nem sempre sabe decifrar. Uma delas era de uma tentativa de entender a mente do nosso povo, o povo brasileiro. Ora sentia sabedoria, ora estupidez, ora isso, ora aquilo. O fato é que não chegava a um consenso, algo que me satisfizesse além de achar, na maioria das vezes, que é um povo medíocre, sem, necessariamente, ser maldoso. Mais para um bobo alegre, que adora pão e circo.

    Creio firmemente que o homem é fruto do meio. Todos os mecanismos de sobrevivência nos fazem captar o ambiente para dele obter o máximo de proveito e sobreviver a esse mesmo meio. Nossa fala, habilidades, capacidade de aprendizagem, enfim somos aptos a sermos do meio. Um porco é sujo se criado na lama, mas limpo se criado na limpeza. Mas o gato? Deixa o gato prá lá senão meus argumentos ficam fracos. Somos fruto do meio e pronto.

    Criados em meio a um povo tolo, que se autolimita, que não sabe ser alegre fora da festa ou da igreja, que só melhora um pouco seu comportamento quando a Lei está novinha, como ser diferente? Somos fruto desse meio. Com as raras exceções de sempre.

    Minha ansiedade se dá porque sou fruto desse meio. Mergulhado na ignorância comecei a ver um pouco mais além da nossa sociedade burra e eis que a angústia só aumentou. Minhas suspeitas estavam se tornando certezas com as palestras do professor Olavo de Carvalho em dezenas de vídeos que acompanhei pelo YouTube. É sim, há além de acidentes, artistas e situações engraçadas no YouTube.
    Além disso li um artigo de Diogo Mainardi que me trouxe um pouco de luz: “Quem compreende a mente e o comportamento dos brasileiros é Valdemar Costa Neto. Quem compreende a mente e o comportamento dos brasileiros é a Mulher Melancia. Quem compreende a mente e o comportamento dos brasileiros é Chico Buarque. Eles sabem o que os brasileiros querem. Eu só sei o que os brasileiros repelem. Eles repelem Antonello da Messina e Memling. Eles repelem Pitágoras e Empédocles”. Pois é, agora “caiu a ficha” do porque não tenho qualquer condição de entender o povo brasileiro. Porque não faço parte do grupo mencionado pelo Diogo.

    O ruim, aterrador, permanece. Mainardi disse o que repelem, mas o quê os brasileiros precisam? Educação? Não, pois quem quer tem, busca.

    Puxa, eis que voltam as dúvidas! Só não se duvida da paixão pelo futebol (circo)!!!

    Nenhum comentário

    Post Top Ad

    Post Bottom Ad