Sahga

  • Recentes

    DESRESPEITO NO FACEBOOK (e outros...)

    “Cada um tem sua opinião”. Isso é lógico e básico em qualquer relação. Porém, é constante o pedido de “respeito” diante da divergência de opinião. Ainda mais contundente quando é o caso da condenação de uma opinião.

    Haveria algo por trás disso? Sim, há!

    Quando há a discordância de uma idéia não há necessariamente o desrespeito. Aliás, não há qualquer traço de desrespeito. O desrespeito está em, sob o argumento do respeito, sugerir-se e até impor o não contraditório. Sem que percebam, os que não admitem o pensamento contrário, pedem o silêncio do opositor. Isso, deveras, é um ato de desrespeito similar às ditaduras. Querem apenas as manifestações de apoio. É negar do direito do contraditório.

    Tenho notado a dinâmica das discussões no Facebook. Primeiro alguém adiciona um texto. Em geral pensamentos parciais e extremamente superficiais. Em seguida outro apresenta um contraponto. É estabelecida a discussão. Em dois ou três posts é reivindicado o “respeito” à opinião alheia. Fica evidente que não é o caso do respeito, mas da falta de argumentos ou da impaciência. Pois, se diante do primeiro contraditório é feito silêncio houve o tal respeito tão requerido. A coisa continua porque vem a defesa do que foi dito inicialmente.

    Ora, se um tem que respeitar a opinião do outro, o outro tem que respeitar a opinião do um...

    Afinal, onde está o problema? Primeiro, não fomos educados para a discussão. Fomos instruídos em fugir disso e não disputar ideias. Acontece que isso é tolice, já que na escola, assim como na família, haverá o embate. Como não temos o treinamento vamos para o bate-boca. Segundo, além de todos terem opinião sobre tudo, está o caso de não se ter conhecimento sobre o que se discute. Está claro que qualquer motorista de ônibus, frentista, empresário, médico e professor sabe dar jeito no mundo, principalmente na política. É evidente que não têm noção das implicações de suas idéias, tampouco na dimensão dos problemas. À medida que o mundo vai ficando menor, do país pra cidade e da cidade para sua própria casa, as soluções ficam inversamente proporcionais ao ponto de não saber coordenar nem a arrumação da casa.

    De minha parte, mais que reivindicar um tal respeito burro, estúpido, é necessário a busca das ferramentas diante das divergências e dos problemas.

    Uma delas, talvez a mais difícil, é ouvir o outro. Segundo, entender que as possibilidades, os demais ângulos de visão, não são, necessariamente, uma condenação, mas uma complementação. Terceiro, suspeitar que o outro pode estar certo. Quarto, mais que firmar posição, podemos estar diante da possibilidade de aprender coisa nova. Quinto, buscar dados num mundo cheio de informações é um prazer, não um problema. Sexto, identificar o que é de fato importante, necessário e útil no tema. Por fim, discussão não é queda de braço!

    Não raro o que se vê nas discussões em família, mais que a busca de solução é achar um culpado. Ah, é daí? São duas coisas distintas. A solução vem antes, bem antes, de identificar o culpado, se há um culpado e se houver a necessidade de se culpar alguém, quanto mais estabelecer uma punição.
    Reconheço que é complicado ter paciência diante de alguns absurdos.

    Discutir ideias não é discutir pessoas. E quando alguém descamba para o ataque pessoal... bem, desses me afasto. Devemos levar em conta que há sujeitos inaptos que, quando se veem acuados, atacam na tentativa de fragilizar seu oponente por não conseguirem com suas ideias.
    Por favor, diga se houver algo além disso.

    2 comentários:

    1. Acho que tens razão em muitos aspectos Roldão. Como homem inteligente que és sabes que um debate sempre pode nos acrescentar conhecimento. É verdade. Mas vejo muitas vezes uma maneira ofensiva, leviana de tratar certos assuntos que envolvem a fé de cada um. Podes ter a tua maneira de pensar, mas isso evidentemente não confere direito de tecer de maneira debochada dizeres e convicções pessoais. Apenas isso. Te admiro e acho que és uma pessoa importante para sociedade, para sua família, e desculpe ..para Deus. Um abraço amigo. Ireninha/Domingo/21.08

      ResponderExcluir
    2. Quanto mais discutirmos sobre nossos assuntos (ideias) mais culto ficamos. O problema é fincar o pé e não apontar saída para o impasse. Se discordo tenho que apresentar meus motivos. O famoso Quilo por que filo de Jânio é uma estrada só de ida, queremos encontrar caminhos de mão dupla, melhor ainda se for duplicada...

      ResponderExcluir

    Post Top Ad

    Post Bottom Ad