Guinzani banner

Guinzani
  • Recentes

    JÓ E A DISPUTA ENTRE DEUS E O DIABO

    Instigado por uma amiga, a Amanda Machado, passei a estudar os principais aspectos do livro bíblico de Jó. Aquilo que é exaltado nos púlpitos como uma demonstração de fé, de fidelidade, de amor a Deus e as muitas recompensas advindas dessa relação, despenca diante de uma leitura sem o véu de fé na infalibilidade desse livro.

    A história de Jó mostra um tipo de deus bem comum à época, fruto a inventividade humana como poderemos ver facilmente. Um deus que recompensa com bens materiais a fidelidade a ele, onde o homem é o centro, e a mulher é apenas a auxiliar, que trata pessoas como coadjuvantes da história de outra.

    A análise será feita totalmente no texto em Português, sem outras fontes porque é assim que está disponível. Vou agir como se fosse a "Palavra de Deus" e, como tal, basta a si mesma. Desde já agradeço a paciente leitura de todos vocês.

    QUEM ERA JÓ

    Havia um homem na terra de Uz, cujo nome era Jó; e era este homem íntegro, reto e temente a Deus e desviava-se do mal.
    E nasceram-lhe sete filhos e três filhas.
    E o seu gado era de sete mil ovelhas, três mil camelos, quinhentas juntas de bois e quinhentas jumentas; eram também muitíssimos os servos a seu serviço, de maneira que este homem era maior do que todos os do oriente.
    Jó 1:1-3

    Definitivamente um homem rico até para os padrões de hoje. Ora, para ter tudo isso, somente com o comércio e muita terra para abrigar tamanho rebanho. O que se entende por ''servo'', em meio a outros tantos textos bíblicos, nada mais é que escravos. Sim, esse homem era um escravocrata, um homem que tratava pessoas como seres não-livres, como mercadorias, como animais a seu dispor.

    Outra coisa que salta do texto é a ênfase no poder econômico. Ora, não há outro caso semelhante com um mero cidadão pobre. Leva-me a arrazoar que sua fé foi provada porque tinha tantos bens, não pelo que cria necessariamente.

    O PECADO
    E iam seus filhos à casa uns dos outros e faziam banquetes cada um por sua vez; e mandavam convidar as suas três irmãs a comerem e beberem com eles.
    Sucedia, pois, que, decorrido o turno de dias de seus banquetes, enviava Jó, e os santificava, e se levantava de madrugada, e oferecia holocaustos segundo o número de todos eles; porque dizia Jó: Porventura pecaram meus filhos, e amaldiçoaram a Deus no seu coração. Assim fazia Jó continuamente.
    Jó 1:4,5
    Qual foi o erro dos filhos para que animais viesse a ser sacrificados como espiação? Pelo que se nota, absolutamente nenhum. Não fazemos festas? Além disso, que homem foi Jó, tão sintonizado com deus que não tinha autoridade diante de seus filhos? O texto não diz se estavam emancipados, com vidas próprias. Tampouco não me parece razoável que o pedido de perdão de um valha para outro. Deus perdoa meus erros por que minha mãe está pedindo? Essa relação é absolutamente estranha à responsabilidade que eu tenho sobre meus atos. E o deus dele aceitou e exaltou isso!


    A PROVOCAÇÃO
    E num dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o Senhor, veio também Satanás entre eles.
    Então o Senhor disse a Satanás: Donde vens? E Satanás respondeu ao Senhor, e disse: De rodear a terra, e passear por ela.
    E disse o Senhor a Satanás: Observaste tu a meu servo Jó? Porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, temente a Deus, e que se desvia do mal.
    Jó 1:6-8
    Nem vou discorrer sobre o que seriam os tais "os filhos de Deus" porque seria mera conjectura estéril. Contudo, o diabo, um ser contrário a deus com livre acesso... Doutro lado, e ainda mais aterrorizador é que esse texto coloca deus como um ser com corpo, da mesma forma que o do Éden. Fosse esse deus o todo da natureza, do universo, haveria como apresentar-se diante? Não, hoje entendemos que ele é o próprio Universo, ou algo assim. E que deus perguntaria algo que já sabe? A resposta de Satanás é até engraçada: "Tava dando uma banda por aí!".

    Daí vem o ridículo: deus o provoca! A mim me dá a nítida impressão de que tá contando vantagem, como o torcedor de futebol a provocar o outro: "Viste quem fez o Gol do Fantástico?". É uma humanização de deus que ultrapassa qualquer margem de bom senso. Além disso, se ''deixasse quieto'' nada do texto poderia acontecer. Sendo Satanás um ser limitado fisicamente (suponho) é possível arrazoar que nem tenha percebido o quanto Jó era tão dedicado. Sim, com milhões de pessoas pelo mundo a fora... Por fim, sejamos honestos, no mundo todo apenas um cara tão certinho é demais pra cabeça. Tanto quanto a figura de Abraão, Noé, Enoque, cada um em seu tempo.

    Quantos haveriam hoje? Um, dois, nenhum?

    A MORTE

    E disse o Senhor a Satanás: Eis que tudo quanto ele tem está na tua mão; somente contra ele não estendas a tua mão. E Satanás saiu da presença do Senhor.
    E sucedeu um dia, em que seus filhos e suas filhas comiam, e bebiam vinho, na casa de seu irmão primogênito,
    Que veio um mensageiro a Jó, e lhe disse: Os bois lavravam, e as jumentas pastavam junto a eles;
    E deram sobre eles os sabeus, e os tomaram, e aos servos feriram ao fio da espada; e só eu escapei para trazer-te a nova.
    Estando este ainda falando, veio outro e disse: Fogo de Deus caiu do céu, e queimou as ovelhas e os servos, e os consumiu, e só eu escapei para trazer-te a nova.
    Estando ainda este falando, veio outro, e disse: Ordenando os caldeus três tropas, deram sobre os camelos, e os tomaram, e aos servos feriram ao fio da espada; e só eu escapei para trazer-te a nova.
    Estando ainda este falando, veio outro, e disse: Estando teus filhos e tuas filhas comendo e bebendo vinho, em casa de seu irmão primogênito,
    Eis que um grande vento sobreveio dalém do deserto, e deu nos quatro cantos da casa, que caiu sobre os jovens, e morreram; e só eu escapei para trazer-te a nova.
    Jó 1:12-19
    Essa parte do texto é absurda. Uma infâmia, criação de uma mente doentia.

    Satanás teve acesso às mentes dos sabeus e caldeus para que agissem. Não queriam, mas foram dominados e como zumbis cometeram crimes. Isso contrapõe-se à ordem de deus, pois disse que os bens de Jó estariam disponíveis. Há uma nítida desobediência que não foi punida. Pelo contrário, foi além pelo que se vê no restante do livro.

    Note, pra ser ainda mais medonho, que os filhos e servos, seres humanos com seus desejos, anseios, sonhos, foram tratados como bens, posses, produtos a serviço de Jó. Gente inocente assassinada para provar a fé de UM? Pior, para provar para Satanás, não para deus, que ele tinha fé.

    Se o livro começa desta forma torpe, o que pode esperar do resto? Nada além de uma anedota sobre o Criador, travestido de deus.

    Nada mais há que se dizer sobre isso senão que esse deus é fruto da insanidade humana, não sendo possível acreditar que houvesse verdade nesse texto. Ou, na mais estúpida das hipóteses, esse deus é o que há de mais criminoso, sendo desnecessário a própria existência de Satanás.

    Por fim, onde está o que o apóstolo Paulo fala em Gálatas 6:7: "Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará"? A recompensa posterior não elimina tal experiência. E mesmo que ele tivesse sucumbido e amaldiçoado ao seus deus, inviabilizaria o que plantou? Não, pois o havia feito de modo sincero.

    Um comentário:

    1. "..Observaste tu a meu servo Jó? Porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, temente a Deus, e que se desvia do mal...".
      (Jó 1:6-8)
      É que naquele tempo o Lula não tinha ainda nascido, né André?! ( Risos...)
      Eu também fiquei com a impressão que deus quis tirar uma 'onda'com o Satã que, ao passear pela terra, certamente nem havia notado o pobre Jó!!! É muito sadismo, tchê!!! Belo texto. Parabéns!

      ResponderExcluir

    Post Top Ad

    Post Bottom Ad