Guinzani banner

Guinzani
  • Recentes

    AUMENTO DA COSIP EM MF

    O texto à seguir é da assessoria de imprensa da Prefeitura Municipal de Morro da Fumaça em resposta à manifestação que fiz em meu perfil no Facebook sobre o aumento da Cosip. Contudo é bom lembrar que a atual administração está há três no poder naquele município.

    Alterações na taxa da COSIP irão melhorar a prestação de serviço de iluminação pública

    A Administração Municipal de Morro da Fumaça, Cooperativa Fumacense de Eletricidade (CERMOFUL) e a Cooperativa Energética Cocal (COOPERCOCAL) informam que a partir do mês de Janeiro de 2016 inicia a aplicação dos novos valores da Iluminação Pública na base territorial do município de Morro da Fumaça.

    O reajuste se deve aos constantes aumentos promovidos pelo Governo Federal sobre o consumo de energia elétrica. No início de 2015, a Iluminação Pública produzia um custo de energia médio de R$ 65.000,00 mensais, já no final do ano esse custo chegou a aproximadamente R$ 110.000,00.

    Em contrapartida a arrecadação média da COSIP no início de 2015 era de R$ 85.000,00 mensais, mas terminou o ano numa média de R$ 75.000,00, ou seja, em quanto os custos se elevaram, a arrecadação diminuiu. Esta situação levou o Município ao atraso do pagamento de energia as distribuidoras e a suspensão de parte da manutenção do sistema de iluminação pública.

    Para solucionar o problema, durante o mês de Setembro de 2015, o Poder Executivo (Prefeitura), Poder Legislativo (Câmara de Vereadores) e distribuidoras de Energia Elétrica (CERMOFUL) se reuniram para estudar a melhor forma de resolver a situação. Durante a conversa houve consenso pela modificação da base de calculo das contribuições de iluminação pública, criando novas faixas de consumo entre os usuários e reajustando os antigos valores.

    Essa proposta foi aprovada pela Câmara de Vereadores e sancionada pelo Chefe do Poder Executivo através da Lei Complementar 047 de 29 de Setembro de 2015, e será aplicada pela CERMOFUL e pela COOPERCOCAL a partir de 1º de Janeiro de 2016, chegando às faturas dos consumidores no mês de Fevereiro.

    Pela nova planilha, o Município arrecadará aproximadamente R$ 138.000,00 mensais que, descontando o valor das faturas de energia, sobrará um saldo médio de R$ 28.000,00. Valor este que no primeiro momento, será usado para pagar as faturas em atraso. Após, todos os pagamentos em atraso serem realizados, será retomada a manutenção do sistema de iluminação pública.

    Para o Coordenador Administrativo do Município, Adilson Maccari, o assunto foi amplamente discutido entre o poder municipal e a distribuidora de energia. “Discutimos até chegar à exaustão, de forma a gerar o menor impacto possível aos munícipes e consumidores. A correção dos cálculos e valores não visa lucros, é o mínimo necessário para se manter um serviço de qualidade”.

    Nenhum comentário

    Post Top Ad

    Post Bottom Ad